terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Centelha imperecível

Escrito por Henrique Veiga de Macedo





Não há em mim angústia, inquietação,
nem desespero, ou náusea sartriana.
Vivo tranquilo minha vida humana;
sobressaltos não tem meu coração.

A ninguém eu odeio: sou irmão
de tudo e todos - crença franciscana -
não fujo à vida em busca do Nirvana;
amo, aceito, compreendo a Criação.

Até na minha dor vive a alegria.
Vejo na escuridão a luz do dia:
a verdade suprema, imarcescível.

Não me limita o tempo, nem o espaço;
mercê de Deus, a um e outro ultrapasso:
o espírito é centelha imperecível.

São Paulo, 16 de outubro de 1980



São Francisco de Assis em Êxtase, por Caravaggio (1595).





Nenhum comentário:

Postar um comentário